Fale conosco

  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Terroá e instituições discutem sobre o valor da avaliação de impactos socioambientais

August 19, 2016

Na última quarta-feira, dia 17, o Instituto Terroá e o Escritório de Sustentabilidade da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP de Ribeirão promoveram um evento com apresentações e debates enriquecedores sobre a importância da avaliação de impacto socioambiental seja para projetos da sociedade civil, governamentais ou do setor privado.

 Mesmo concorrendo com os jogos das olimpíadas do Rio 2016, o Anfiteatro Ivo Torres no prédio da FEA-RP recebeu muitas pessoas interessadas na temática. “Obrigada pela presença de vocês no evento, competir com o Neymar é difícil” disse a bem-humorada doutora e professora Adriana Caldana, que mediou o encontro.  Emocionada, apresentou o time de craques palestrantes, dois deles seus ex-alunos de graduação em Economia. Orlando Nestri Neto, consultor na empresa Votorantim Cimentos e Daniel Belíssimo, co-fundador e coordenador do Intituto Terroá e mestrando em Administração das Organizações  na FEA-RP / USP. O terceiro palestrante foi Guilherme Bircol, biólogo e mestrando em Sustentabilidade pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH – RP) também na USP.

 

Orlando apresentou um case de sucesso da Votorantim, no qual foi um dos responsáveis pela implementação. O projeto mensura  o retorno sobre o investimento socioambiental com a construção de uma unidade da empresa em Primavera,  pequena cidade no norte paraense.

 

Orlando enfatizou que foi necessário muito diálogo com a população, poder público e dentro da própria empresa para concluírem o modelo do projeto que destina recursos para diversas áreas sociais: fortalecimento local da educação; investimentos em capacitação; apoio a cooperativas de agricultores; construção de museu; escolas e centros de saúde.

Em decorrência desses investimentos, conseguiram comprovar retornos significativos à empresa: taxas de juros mais baixas com o BNDES, incentivos fiscais no Estado do Pará, paralisações evitadas, contratação de mão de obra local, absenteísmos evitados, entre outros.

Segundo os cálculos, para cada R$ 1,00 investido, R$ 4,50 voltariam à Votorantim em 7 anos. Orlando ressaltou que apesar de o objetivo principal ser o lucro, esta proposta contribui bastante com a sustentabilidade socioambiental. O Instituto Votorantim e serviços terceirizados realizam trabalhos e estudos que atentam aos impactos causados nos locais de atuação da empresa.

 

Já Guilherme Bircol explanou aos presentes conceitos referentes aos Estudos de Impacto Ambiental (EIA) e Avaliação Ambiental Estratégica (AAE). O primeiro é responsável por analisar impactos isolados em cada projeto, estuda as prováveis consequências ambientais que podem ser causadas pela obra e  propõe condições para sua implantação. O segundo, mais abrangente, é um instrumento de política ambiental que objetiva promover o desenvolvimento sustentável por meio da incorporação da variável ambiental no processo de planejamento estratégico das políticas públicas.

Também destacou a complexidade do tema sustentabilidade, sugeriu que as questões econômicas, sociais e ambientais são indissociáveis. Segundo ele, qualquer ação causa impacto ao meio ambiente e todo sistema é entrópico, tende à desordem, mas não  por isso devemos acelerar esse processo.

 

Daniel concluiu as apresentações falando sobre o  Intituto Terroá, que trabalha com desenvolvimento humano e  territorial com base no protagonismo, na proteção e no empoderamento de indivíduos, organizações e comunidades. Mencionou os principais serviços oferecidos pelo Terroá: diagnósticos e facilitação de desenvolvimento territorial, assessorias para empreendimentos sociais e solidários, facilitação para desenvovlvimento organizacional, programas educacionais, formação de lideranças e elaboração de projetos de responsabilidade social.

 

Também destacou os principais projetos em andamento: Terrarrium (programa completo de facilitação para o desenvolvimento territorial); Observatório de Segurança Humana (estudos e diagnósticos de desafios e potencialidades comunitárias); Programa Cidades Sustentáveis (agenda de sustentabilidade completa ao governo municipal) e o Abra Políticadabra (modelo de educação política e humanizada).

Diante de tamanho desafio e relevância em torno do tema sustentabilidade, a educação e a facilitação para o diálogo ganham importância, pois têm o papel de instruir, estimular ideias e criar pontes. Assim, o desenvolvimento de projetos de caráter socioambiental precisa conectar núcleos específicos numa grande teia interdisciplinar, propor uma abordagem sistêmica, participativa e horizontal  que  permitirá uma compreensão integral do entorno  e, consequentemente, soluções efetivas e salutares para as necessidades contemporâneas.

 

 

Please reload