Fale conosco

  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Novidades do Projeto Minha Casa Minha Vida Geraldo Honório, em Sertãozinho (SP)

January 23, 2018

 

 

O Instituto Terroá e a empresa Travain prosseguem com as atividades do Projeto Minha Casa Minha Vida Geraldo Honório, em Sertãozinho (SP). Até o momento, o projeto já passou pelas seguintes etapas: I. Diagnóstico e aproximação; II. Mobilização e planejamento participativo; e III. Co-criação de projetos e iniciativas. Em outubro, teve início a etapa de incubação de projetos e iniciativas, voltada para a facilitação de ações que promovam o desenvolvimento territorial do conjunto habitacional. O trabalho realizado pelo Instituto Terroá e pela Travain prossegue em diferentes frentes de trabalho. Abaixo, descrevemos algumas das iniciativas em andamento:

 

Grupo de Trabalho Cooperativo de Artesanato – “Artesãs do GH”

 

Para esse grupo, a equipe do Instituto Terroá ministrou oficinas de planejamento participativo, utilizando método próprio, com o objetivo de identificar a missão, os valores e a visão, de forma interativa, com as artesãs. Algumas questões foram utilizadas para a orientação da oficina, tais como: onde estamos? Para onde vamos? Para quem prestaremos o serviço? O que nos motiva a fazer esse trabalho? Como faremos esse trabalho? Posteriormente, com o avanço da organização do grupo, foi necessário ministrar mais uma oficina de planejamento, utilizando-se do método Business Model Canvas, ou Quadro de Modelo de Negócios. Além disso, a equipe ofereceu uma oficina de marketing, buscando trabalhar os processos de compra, os objetivos e os conceitos do marketing, de maneira a promover uma aproximação entre a teoria e a prática vivida pelo grupo.

 

Durante os últimos meses, as artesãs foram contempladas com a doação de matéria-prima da Indústria Barbantes Soberano, localizada em Batatais (SP). Com os cerca de 80 quilos de novelo doados especialmente às artesãs já foi possível produzir mais de 30 produtos diversificados de crochê.  

 

As moradoras também conseguiram habilitação para atuar oficialmente como profissionais do artesanato, concedida pela Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades (SUTACO), integrante da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo do Estado de São Paulo. A habilitação permite que as moradoras tenham acesso aos diversos serviços prestados pela Prefeitura, sendo uma das principais conquistas do grupo desde o início do projeto.

 

Em outubro, o grupo de artesãs se organizou e realizou a sua primeira feira de artesanato em frente ao condomínio. Em seguida, as artesãs foram convidadas para participarem de outras feiras, promovidas pela Prefeitura de Sertãozinho. Vale a pena ressaltar que a Secretaria de Cultura e Turismo vem fornecendo todo o suporte para que o grupo exponha seus produtos em feiras na cidade e na região, convidando-as, inclusive, para eventos a serem realizados em 2018. 

 

Em suma, a equipe buscou trazer, ao longo das atividades, os princípios de cooperativismo, trabalho em equipe e resolução de conflitos.

 

Grupo de jovens

 

Para o grupo de jovens, foram realizadas diversas atividades visando ao desenvolvimento profissional dos participantes. Diferentes metodologias foram utilizadas buscando-se potencializar valores pessoais e profissionais dos participantes, empregando-se também avaliações sobre dinâmicas profissionais. Além disso, o grupo pôde participar de discussões sobre as oportunidades de carreira, e foi elaborada uma cartilha ilustrando as possibilidades de ingresso nos ensinos superior e técnico.  

 

Em 2018, atuaremos mais fortemente em atividades que envolvam o esporte e as expectativas pessoais e profissionais dos jovens.

 

Horta Comunitária do GH

 

A partir das etapas de diagnóstico e planejamento, identificou-se como desejo dos moradores a revitalização de espaços físicos do condomínio. Desse modo, a equipe, junto com os moradores, construiu coletivamente a Horta Comunitária do GH. Trata-se de uma primeira iniciativa de engajamento e envolvimento dos moradores com o trabalho em equipe, voltado à produção, de forma solidária, de alimentos frescos, saudáveis, mais nutritivos e mais baratos. A equipe, através da oficina “Horta Comunitária do GH”, ministrou atividades teóricas e práticas, discutindo-se sobre diversos temas, tais como o uso indiscriminado de agrotóxicos e seus impactos, as técnicas e os conceitos de uma agricultura do tipo não industrial (agricultura mais ecológica, orgânica e natural), bem como a valorização do conhecimento tradicional da comunidade, a diversidade de alimentos e a conservação do meio ambiente, entre outros temas.

 

Grupo em formação para a venda de produtos alimentícios

 

Muitos moradores do condomínio possuem habilidades para a produção e a venda de alimentos. Essas habilidades foram identificadas pela equipe do Terroá ao longo dos meses de projeto e, assim, buscou-se facilitar e fortalecer a união dos moradores, em prol da geração complementar de renda. Para tanto, foram realizadas diversas reuniões e articulações entre as lideranças e os indivíduos. Como primeira ação, o grupo organizou a “Feira de Alimentos do GH”, um evento cultural que contou com a participação de cerca de 120 pessoas, dentre elas moradores e vizinhos do bairro Jardim Santa Rosa. Os moradores conseguiram vender diversos tipos de alimentos e celebraram, ao som de uma roda de samba, o sucesso da iniciativa e a integração da comunidade.

 

A previsão é de que o trabalho conjunto entre o Instituto Terroá e a Travain no Projeto Minha Casa Minha Vida Geraldo Honório seja encerrado em março de 2018. Em breve anunciaremos mais informações sobre as atividades e os eventos realizados junto à comunidade de Sertãozinho. 

 

Please reload